terça-feira, 9 de julho de 2013

Manifestações em 1968 e 1969!

(...)

Exceto na China, onde o ancião Mao mobilizou as forças da juventude com um efeito terrível, os jovens radicais eram liderados  - até onde aceitavam líderes -  por membros de seu grupo de pares. Isso se aplicava visivelmente aos movimentos estudantis mundiais, mas onde estes provocaram motins operários em massa, como na França e na Itália em 1968-1969, a iniciativa também veio de jovens operários. Ninguém com a mínima experiência das limitações da vida real, ou seja, nenhum adulto, poderia ter idealizado os slogans confiantes, mas patentemente absurdos, dos dias pariensienses de maio de 1968, nem do "outono quente" de 1969: 'tutto e subito", queremos tudo e já. 
(...)

Era dos Extremos, Eric Hobsbawn, 2a ed, página 318.

sábado, 6 de julho de 2013

Motivos para beber...

(...)
-É a notícia mais triste desde 1927.
-O que houve em 1927?
Ele pôs o dedo nos lábios:
-Psiu! Coisa pessoal.
Pousou a cabeça na mesa e pareceu adormecer. O barman deixou o balcão e aproximou-se de Gomez:
-Tome conta dele para mim por uns dois minutos - disse. - Está na hora dele: preciso ir arranjar um táxi.
-Quem é esse camarada?
-Trabalha em Wall street.
-É verdade que se embebedou por causa da queda de Paris?
-Se ele disse, deve ser verdade. Só que na semana passada era por causa dos acontecimentos na Argentina, e na semana anterior por causa da catástrofe de Salt Lake City. Ele toma um porre todo sábado, mas nunca sem um motivo.
-É sensível demais - disse Gomez.
(...)




Com a Morte Na Alma
Jean-Paul Sartre